CTG Os Praianos

Principais razões do nosso CTG

Por quais razões 12 descendentes de açorianos, com o mar diante dos olhos desde que nasceram e sempre cercados pela tradição de seus antepassados, foram levados a fundar um Centro de Tradições Gaúchas? Os oito fundadores do CTG que estão vivos reagiram a esta questão, sugerindo três explicações.

A primeira explicação é que os moradores do litoral conheciam a importância do cavalo em relação ao homem, quer para servi-lo no transporte, quer para o manejo de rebanhos.

Há mais de dois séculos circulavam “de serra acima para serra abaixo” tropeiros com animais para serem negociados, trazendo charque e couro e daqui levando sal, farinha e açúcar. Tal movimentação comercial levou pessoas do litoral a se interessarem pela comercialização e pelo abate de bovinos, o que foi criando pontos de contato com os hábitos campeiros. Essa é considerada uma razão fortíssima para a fundação do nosso CTG, pois nada menos de 90% de seus 12 fundadores, de uma forma ou de outra, lidavam com gado.

A segunda razão sugerida é que, nas dácadas de 60 e 70, a farra-do-boi era uma prática muito comum na região litorânea. Vários dos fundadores também a cultivavam, brincavam com os farristas, utilizavam seus cavalos para controlar o boi. Como essa festa tradicional começou a sofrer questionamentos da opinião pública, chegando mesmo a ser proibida no estado, o uso da cancha de laço no CTG revelou-se uma alternativa simpática à população e de pleno agrado dos fundadores.

A terceira razão tem um caráter subjetivo, espiritual, e as outras nada significariam se ela não tivesse existido. Trata-se da exemplar afinidade que entre si mantinham os fundadores, aquela camaradagem de que falamos ao abrir essa história do CTG. Eram sólidos os vínculos que os ligavam. Por obra da amizade é que a entidade nasceu. Nasceu e cresceu, pois amigos foram indicando amigos, tanto para o quadro social quanto para a formação das patronagens.

Afirmam os fundadores que nunca iriam imaginar que a semente plantada em 1972 fosse germinar tão bem e resultar na majestosa árvore que é hoje. Considerada a maior sociedade de culto à Tradição Gaúcha existente em Santa Catarina e uma das mais respeitáveis da América Latina, o CTG dá um vivo sentimento de realização pessoal a cada um dos que o criaram e o mantiveram até essa data. Os Praianos estão plenamente identificados com a comunidade do litoral e gozam de um prestígio incomparável, impondo-se como um exemplo de instituição civil organizada. Fundadores, patrões e colaboradores tiveram cada um seu estilo de trabalho; houve, no discurso do tempo, debates e até divisões, mas tudo sempre acabou resultando em crescimento e harmonia.

Ocorre-nos uma comparação: cada mandato de patronagem, cada exercício de cargo foi como um chimarrão que, bem cevado ou lavado pelas dificuldades, passou de mão em mão, no ritual de integração por uma causa.

Vigoroso aos 34 anos de lutas e conquistas, obra de muitos irmãos, o CTG Os Praianos será cada vez mais o que o sonho quis: um espaço de alegria, fraternidade e beleza na querência de nossa vida.

*Pesquisa: Trechos do livro - CTG OS PRAIANOS – 30 Anos de Tradição

Jairo Lisowski/ Ilário Arent. Departamento Cultural CTG Os Praianos – ano 2002.

CTG OS PRAIANOS

Rua Vidal Vicente de Andrade, 72 - Forquilhinhas - São José/SC

Fones: (48) 3357-0800 / 3357-0990 | Email: ctgospraianos@ctgospraianos.com.br

Inteligência Web